O Aqui e o Agora

o-aqui-e-o-agora

O QUE É O “AQUI E O AGORA” TÃO FALADO EM GESTALT?

Tenho visto algumas vezes um torcer de nariz quando falamos de Gestalt, com a alegação de que que é uma
terapia superficial, que se preocupa só com os problemas atuais.
Para aclarar um pouco essa ideia do que é o “aqui e agora”vale a pena decifrar um conceito básico da
Gestalt que tem muito a ver com o “aqui e agora”.
No pensamento de Fritz é comum encontrarmos referência ao conceito de responsabilidade.
Uma maneira de entendermos melhor a que se referia Fritz quando usava essa palavra, é importante dividir a
palavra responsabilidade em inglês: response-ability- habilidade ou capacidade de responder.
O trabalho Gestaltico busca capacitar boas respostas ou respostas funcionais às circunstâncias que vive a
pessoa, busca habilitar boas respostas.
O que seria então as respostas funcionais ou saudáveis e as respostas disfuncionais ou neuróticas?
Ainda bem dentro do jargão gestaltico, as boas respostas são aquelas que atendem necessidades atuais, do
“aqui e agora”.
Embora vivamos todos regidos pelo mesmo calendário, nem sempre o que entendemos como nossas necessidades
tem a ver com a nossa idade e o dia do ano em que estamos.
Lembro de uma paciente que se condenava por não trabalhar fora e ao mesmo tempo não se autorizava a ter uma
atividade profissional, ainda que fosse preparada o suficiente para isso.
Durante seu processo psicoterapéutico se deu conta de que tinha receio de que se saísse de casa os filhos
não teriam seus pertences em ordem se os necessitassem.
Lembrou que sua casa quando era menina era muito desorganizada. Sua mãe trabalhava tempo integral e lhe
dava vergonha levar seus amigos em casa pela desordem.
Hoje ao manter sua casa organizada e com tudo em ordem embora os filhos já possam se organizar, pois são
adultos, exibe uma resposta desatualizada ( não ter uma atividade profissional) e vive a frustração de não
desenvolver seu lado profissional.
Atende a um “lá e então…. ” atende à necessidade da menina que ela foi um dia, a necessidade de ter uma
mãe que a acompanhasse em sua rotina.
Esse é um exemplo simples de como vamos gastando nossa energia em atividades que não geram satisfação pois
atende a necessidades que não são claras para nossa consciência.
Tratar essa situação implica em por atenção na queixa atual e necessariamente reprocessar a situação que
ficou mal resolvida no passado.
A Gestalt então, longe de ser superficial, é extremamente competente para tirar o indivíduo do
funcionamento neurótico , entendendo que os processos que se apresentam hoje só são ponta do iceberg que
necessita ser desvelado.

Yara Gualda Carneiro